Por muitas décadas, os gráficos de radiestesia foram entendidos como a aplicação prática dos princípios e propriedades das formas, cujas descobertas modernas eram uma conquista de vários radiestesistas ilustres como Belizal, Chaumery, Jean de La Foye e outros.

Recentemente porém, radiestesistas modernos começaram a contestar a ideia que os gráficos possuam alguma propriedade devida a forma, e passaram a defender que tudo é mera técnica de uso da mente, na qual os símbolos e formas utilizadas propriamente ditas não desempenhariam praticamente nenhum papel.

Tal posição moderna nos causa espanto, e neste vídeo indicamos os principais motivos pelos quais somos partidários da radiestesia tradicional, e porque isto nos parece mais uma das facetas da radiestesia mental, que embora possua grandes méritos, acaba por tentar jogar tudo para a esfera da mente, sem considerar os avanços atuais da radiestesia.


Sérgio Nogueira
Sérgio Nogueira

Presidente da Associação Brasileira de Radiestesia e Radiônica (ABRAD). Possui formação ainda nas áreas de acupuntura, reiki, hipnose, magnetismo e outras, que utiliza de forma sinérgica em seu trabalho. Atualmente se dedica a atendimentos na área de radiestesia empresarial, auxiliando profissionais e empresas a atingirem seus objetivos.