GT-200 - Arma contra o crime ou fraude na Radiestesia? 1

GT-200 – Arma contra o crime ou fraude na Radiestesia?

Vara radiestésica GT-200

GT-200

Gostaria de iniciar dizendo que estou acompanhando este caso a mais de três anos, quando li a notícia da aquisição, pelo Departamento de Defesa do México, de 300 unidades do dispositivo radiestésico GT-200 para serem utilizados no combate ao narcotráfico e ao crime organizado.

O assunto naturalmente gerou grande polêmica internacional, sendo discutido em vários meios de comunicação, entre os quais o The New York Times, BBC e CNN. Dezenas de artigos contra e a favor podem ser encontrados na internet (a maioria contra por sinal), e o caso parece estar longe de uma conclusão.

O que é o GT-200

Uso da vara radiestésica GT-200O dispositivo radiestésico em questão é fabricado pela Global Technical, uma empresa inglesa que alega que seu detector molecular (assim ele é categorizado pelo fabricante) tem a capacidade de detectar mais de 300 substâncias, entre as quais maconha, cocaína, anfetaminas, explosivos e pólvora. Segundo o mesmo site o GT-200 funciona a partir da carga magnética emitida por estas substância e detectada pela eletricidade estática do operador, para diferenciar as substâncias o aparelho conta com uma cavidade porta testemunho onde são inseridos cartões que supostamente obtém ressonância com com o elemento pesquisado.

Estas e outras informações sobre o princípio de funcionamento podem ser encontradas em inglês no site do fabricante e em espanhol no site de seu distribuidor mexicano, a empresa Segtec.

O custo de cada peça é estimado em U$20.000.

Origem da Polêmica

Em 2008 o Departamento de defesa do México fez uma declaração dizendo que:

“O exército mexicano utiliza um equipamento sofisticado, denominado GT-200, que detecta até 24 substâncias ilegais a uma distância de 200 metros e uma profundidade de 500 metros abaixo da água.”

Logo após as primeiras notícias da aquisição do produto surgiu um artigo no The New York Times dizendo que o governo britânico havia informado o governo mexicano e de outros países que as GT-200 poderiam não funcionar e colocar em risco a política de segurança destes países, a matéria prosseguia afirmando que as varas radiestésicas estavam sendo alvo de investigação na Tailândia e que o governo inglês estudava a proibição de sua exportação.

Ainda segundo o The New York Times, os policiais da Tailândia e do México, independente das ressalvas, defendiam o uso do aparelho alegando que na prática funcionavam perfeitamente.

A notícia caiu como uma bomba, e daí em diante as críticas foram crescentes, surgiram acusações de desleixo do Departamento de Defesa do México e até de corrupção devido ao alto custo do produto, os mais exaltados falavam em proibir o uso da GT-200 e processar o fabricante, enquanto os mais comedidos clamavam para que o instrumento fosse utilizado em conjunto com outras técnicas, tais como cães farejadores e detectores, afim de que os possíveis erros pudessem ser minimizados.

GT-200 - Arma contra o crime ou fraude na Radiestesia? 2

Uma das matérias sobre a GT-200

Para complicar um pouco

Neste meio tempo foi ao ar um programa da BBC onde o aparelho foi desmontado ao vivo e se comprovou que dentro não havia nada, se tratava simplesmente de uma empunhadura de plástico com uma vareta telescópica presa a uma dobradiça, o circuito interno era uma simples cápsula telefônica.

Apesar do governo inglês ter lançado este alerta, denúncias posteriores dão conta que o variações da GT-200 foram utilizadas pelo exército de sua majestade no Iraque e Afeganistão, o que gerou críticas de que o próprio governo teria incentivado a proliferação do instrumento.

Um dos vídeos contendo as principais críticas pode ser visto abaixo:

Houveram também uma série de matérias escritas e que podem ser encontradas na internet.

E claro, não faltaram piadas sobre o exército mexicano e montagens ridicularizando o produto, como podemos ver na imagem abaixo:

GT-200 - Arma contra o crime ou fraude na Radiestesia? 3

No cartaz acima lemos: “Onde está a bomba?”

Em 2010 o governo da Tailândia, que anteriormente defendia o produto, proibiu a importação de mais unidades GT-200 com base nos resultados dos estudos que havia encomendado, o que contrariou o Exército, que declarou acatar a decisão de não comprar mais, mas que continuaria utilizando aqueles que já possuíam devido aos resultados positivos obtidos em mais de dois anos de uso.

Nenhuma dessas notícias fez o governo mexicano pensar em cessar o uso da Radiestesia, ao contrário, foi anunciado a importação de mais unidades após a afirmação de que os resultados eram satisfatórios, como prova foram divulgadas vários casos de sucesso graças ao uso da técnica, notadamente a apreensão de mais de 7 toneladas de Maconha, armas e uma camionete.

Outro vídeo que pode ser acessado pela internet mostra um oficial do exército demonstrando o uso do aparelho:

Segundo o blog lonjho, 133 instalações marcadas como estratégicas são monitoradas com o uso da Radiestesia, e atualmente os seguintes órgãos mexicanos utilizam a GT-200:

Secretaría de la Defensa Nacional, la Secretaría de Marina Armada de Mexico, la Secretaría de Seguridad y Protección Ciudadana del Estado de Chiapas, laProcuraduría General de Justicia del Estado de Chiapas, la Secretaría de Seguridad Pública del Estado de Sinaloa, la Secretaría de Seguridad Pública del Estado de Guanajuato, la Secretaría de Seguridad Pública del Estado de Chihuahua, la Secretaría de Seguridad Pública del Estado de Michoacán, Pemex Petroquímica, Pemex Exploración y Producción, Pemex Gas y Petroquímica Básica, el Instituto de Seguridad y Servicios Sociales para los Trabajadores del Estado, la Procuraduría General de la República, la Administración Portuario Integral de Altamira S.A. de C.V., , la Administración Portuaria Integral de Lázaro Cárdenas, S.A. de C.V., la Secretaría de Seguridad Pública del Distrito Federal, la Agencia de Seguridad Estatal del Estado de México y la Secretaría de Seguridad Ciudadana de Querétaro.
Fonte:
http://lonjho.blogspot.com/2011/03/los-distribuidores-del-gt200-y-otros.html

Acusações

As principais acusações contra o produto, que ficou conhecido na imprensa mexicana como La Ouija del diabo são:

1- O aparelho não tem qualquer utilidade

Este argumento se sustenta principalmente nos testes realizados com duplo cego na Tailândia e Inglaterra, que concluiram que o aparelho não permite maior precisão do que o acaso. Lembramos que não é o primeiro teste do gênero que dá resultados negativos com a Radiestesia.

2- Não existem explicações consistentes do fabricante sobre o princípio de atuação da GT-200

Baseado no fato que não existe nada no aparelho que detecte moléculas nem nada que fisicamente possa captar qualquer coisa, isto sendo uma clara contradição a propaganda do fabricante que afirma que o aparelho detecta moléculas a partir da eletricidade extática do operador.

3- O fabricante vende, a um alto custo, o que não passa de uma versão mais bonita e cara de outros instrumentos simples utilizados em Radiestesia.

4- São mencionados inúmeros erros de diagnóstico na prática cotidiana com o instrumento, algumas que supostamente teriam sido responsáveis pela perda de vidas.

Defesa do fabricante e distribuidor

A maioria dos argumentos eu encontrei no site do distribuidor, mas penso que o fabricante pense da mesma forma.

1- Sobre os testes o distribuidor afirma não concordar com a metodologia empregada na pesquisa tailandesa, e que testes realizados por entidades independentes aliados ao uso prático dos aparelhos obtém resultados positivos, a empresa não indica contudo quais seriam estas entidades independentes.

2- Sobre o termo detector de moléculas não vi qualquer resposta.

3 – Sobre os custos tampouco encontrei qualquer resposta, salvo a afirmação de que se trata do instrumento mais avançado do mundo em detecção.

4- No site do distribuidor existem algumas reproduções de matérias mexicanas sobre apreensões de drogas e armas utilizando as GT-200 que podem ser acessadas pelos internautas.

Nossa opinião

Como dissemos anteriormente, temos acompanhado a questão desde o início da implantação da GT-200 no México, no início pensamos em fazer uma postagem mencionando o fato, porém o início dos questionamentos nos fez esperar um pouco mais e obter maiores informações sobre o caso. Neste momento estamos em melhores condições de opinar.

Pontos negativos

Não tem como negar que a propaganda do fabricante e distribuidor é enganosa, a começar da inconsistente explicação do princípio de atuação do aparelho até as incríveis afirmações sobre o mesmo. O que a Global Tech está vendendo é um dual rod mais bonitinho sem citar que se trata de Radiestesia e que o aparelho não funciona por si só. Também não menciona que os resultados podem ser contraditórios dependendo do treino do operador nem as ocorrências que podem conduzir a falhas.

A propaganda da empresa induz qualquer pessoa menos informada a pensar que o instrumento é auto-suficiente, basta ver que nos sites de fabricante e distribuidor não é encontrada a palavra Radiestesia uma única vez, não sendo mencionado que suas criações dependem da sensibilidade pessoal para obter resultados. Os governos com os quais a empresa negocia mereciam receber informações completas sobre o que estão adquirindo, mesmo sob pena do negócio naufragar.

A insistência da empresa em apresentar o produto como tecnologia de última geração tampouco ajuda a melhorar sua imagem, e por extenção a dos radiestesistas.

Enfim, temos para nós que o aparelho em si é fraudulento por tentar maquiar sua verdadeira natureza por trás de uma linguagem rebuscada e um design inovador.

Pontos positivos

GT-200 - Arma contra o crime ou fraude na Radiestesia? 4

Embora existam muitas críticas e a posição de especialistas  sobre o assunto seja negativa, é de se notar a completa ausência de reclamações por parte dos que o usam, eu não encontrei uma única declaração de um militar mexicano, inglês ou tailandês criticando a GT-200, nenhuma! As únicas críticas que encontrei de militares mexicanos partiram daqueles que não utilizaram o dispositivo e se basearam em opiniões de terceiros e reflexão pessoal.

O exército da Tailândia chegou a afirmar que os acertos são da ordem de 80%, contrariando os dados obtidos nas pesquisas tailandesas e inglesas, motivo de sobra para continuar utilizando o dispositivo segundo eles.

Anupong Paochinda por exemplo, chefe do exército tailandês afirma que os dispositivos funcionam perfeitamente na prática, sobre esta declaração afirma o tenente general Pichet Wisaijorn:

“Não é o Gen. Anupong que afirma que o dispositivo é eficaz. Oficiais do sul e do norte, atuais e ex-comandantes do exército também dizem a mesma coisa. Compramo-los, e se os usuários insistem que são bons este é o fim da discussão.”

Em outra ocasião o mesmo general afirmou:

“Como os homens no terreno estão impressionados com ele e exigiram o equipamento, é dever do comandante adquiri-los.”

Pornthip Rojanasunand, diretor do Instituto Central de Ciências Forenses declarou:

“As pessoas acreditavam que a terra era plana e quem dissesse o contrário seria executado. Algumas coisas não são visíveis, mas não significa necessariamente que não existam. Os dispositivos estão em uso e ninguém tem o direito de proibi-los.”

E após a proibição do governo tailandês de novas importações:

“Nós não vamos comprar mais, mas não vamos parar de utilizá-los.”

O Coronel inglês aposentado John Wyat é outro que defende o uso de tais técnicas, a ponto de hoje representar um concorrente da GT-200.

Da mesma forma existem outros relatos de oficiais sobre a eficiência dos instrumentos.

O uso da GT-200 não se limita contudo a tais países, na lista de clientes do fabricante temos a Índia, Filipinas, e outros países africanos, produtos similares também tem aprovação do exército do Iraque e Afeganistão.

Estariam todos estes homens sofrendo de cegueira, a ponto de confundirem os resultados? Corrupção generalizada ou estas pessoas estão de fato falando a verdade? Lembrando que são estas mesmas pessoas que utilizam cotidianamente os aparelhos em situações de risco real, e talvez estejam em melhores condições de avaliar o que melhora ou piora seu desempenho em serviço.

Estaríamos assistindo mais um episódio da pressão exercida por vários grupos contra métodos simples que deem resultados e que coloquem em risco seus ganhos? Não posso afirmar. Mas uma autoridade iraquiana expressou este ponto de vista, afirmando que a depreciação dos instrumentos radiestésicos ocorre por parte de concorrentes interessados em vender seus próprios meios de detecção.

A Global Tech com certeza emprega meios questionáveis na divulgação de seus produtos, falha também em não fornecer informações exatas aos seus clientes e ao público em geral, algo no mínimo anti-ético.

Tudo isso, aliado ao fato de que a Radiestesia não se encaixa no modelo atualmente aceito nos meios científicos, tem servido para que surjam mais críticas ao uso da Radiestesia, embora a maioria dos debates e artigos que se posicionam contra destaquem as falhas e ignorem completamente os acertos obtidos.

Sobre este ponto é nítida que quase não divulgam a defesa do produto por seus usuários, tratando-os geralmente como seres destituídos de qualquer capacidade de análise e não como pessoas que dependem de resultados para sobreviver.

Isto depõe contra a Radiestesia?

De forma alguma, ao contrário, como mostrei acima não faltam elogios daqueles que empregam o sistema na prática, evidenciando que a técnica conduz a resultados, é o que importa no fundo.

Mas certamente que a forma como são veiculadas as informações por parte de alguns “profissionais” e fabricantes cria uma imagem negativa por parte daqueles que não tem posição definida, e reforça o pensamento dos que já são céticos sobre o assunto.

Pensamos também que, devido as inúmeras variantes que cercam a Radiestesia e as possíveis falhas devido a falta de adestramento do operador, a GT-200 jamais deveria ser empregada sozinha, mas em conjunto com cães treinados e outros dispositivos existentes, isto permitiria inclusive averiguar melhor a taxa de acertos a partir do cruzamento de dados e serviria para evitar os erros, afinal de contas Radiestesia não é mágica (por mais que alguns acreditem nisso) e não acerta 100% das vezes nas mãos de ninguém.

Quem sabe um dia, livre dos preconceitos de alguns acadêmicos, e das artimanhas de comerciantes gananciosos que mais atrapalham do que ajudam, possamos de fato ver a radiestesia ser empregada em situações reais de forma comedida a fim de obtermos melhores dados sobre suas potencialidades.

E você? O que pensa sobre o assunto? Poste um comentário com sua visão sobre o tema.

About The Author

Sérgio Nogueira

Presidente da Associação Brasileira de Radiestesia e Radiônica (ABRAD). Possui formação ainda nas áreas de acupuntura, reiki, hipnose, magnetismo e outras, que utiliza de forma sinérgica em seu trabalho. Atualmente se dedica a atendimentos na área de radiestesia empresarial, auxiliando profissionais e empresas a atingirem seus objetivos.

Comente este artigo