pendulos-radiestesia

Radiestesia profissional, importância de material adequado

material para radiestesia

Introdução

Um pintor ou escultor sabe muito bem da necessidade de possuir material adequado às suas necessidades, e nem sonharia em arriscar sua obra prima com tintas ou pincéis de qualidade inferior. Infelizmente muitos profissionais de Terapia Holística não dão atenção devida ao seu instrumental de trabalho, em radiestesia e radiônica a situação é mais grave que em outros ramos da arte terapêutica, sendo comum ouvir pessoas dizendo que não existem motivos para se investir em material, que pêndulo é tudo a mesma coisa e que um dual rod feito de cabides é o suficiente, sendo bem direto e claro, estas pessoas perderão as melhores chances do mercado por conta deste pensamento.

Seu material reflete o seu trabalho

Quando disse a meu pai que começaria a atender como radiestesista, ele fez a seguinte observação:

“- Está na hora de aposentar este instrumento (se referindo a um dual rod que eu tinha em mãos) artesanal que você usa. Quantas pessoas levarão seu trabalho a sério vendo-o pegar tubos de caneta Bic e encaixando varas de cabide?”

E ele estava certo, é verdade que sendo ou não artesanal ele funcionava tão bem quanto o que uso hoje, mas para o cliente isto não existe, a regra do mercado é simples:

Material caseiro corresponde a amadorismo, e não se remuneram amadores.

Se você usa dual rod de cabides ou pêndulos com linhas e pedras não me entenda mal, você pode ter um trabalho excelente, mas que não passará tanta confiabilidade na hora da apresentação, caso faça radiestesia por hobby não tem qualquer problema, mas caso se trate de um negócio você deveria repensar sua posição .

Pena que nada do que foi dito até o momento, convença alguns, então terei que ser mais radical e responder de forma clara a indagação:

“Por quê investir em um pêndulo (ou qualquer outro material profissional) se uma pedrinha ou porca de parafuso amarrada com um barbante (ou outro artefato caseiro) faz a mesma coisa?”

Costumo responder esta pergunta com outra, e como muitas mulheres lerão este artigo  sei que me compreenderão perfeitamente, os homens podem perguntar às esposas, namoradas ou amigas.

“Por quê investir R$200,00 ou bem mais que isto em uma bolsa se uma sacolinha de supermercados faz a mesma coisa? Duas sacolinhas, uma dentro da outra, criam inclusive um bom reforço.”

Agora imagine que você está indo para uma entrevista de emprego, um cargo importante, o que você portaria? Sua melhor bolsa ou a sacolinha do Extra Hipermercados? Uma roupa adequada a situação ou aquela camiseta furada? Afinal elas cumprem a mesma função, proteger o corpo. Claro que a camiseta furada, que não jogamos fora nem por decreto de tão confortável, é excelente para ficar em casa, mas inadequada para uma boa apresentação profissional.

Não creio que precise me alongar no exemplo, várias leitoras já deram um sorrisinho ao se imaginar com uma sacola de mercado andando pelas ruas e refutaram a ideia, algumas nem devem ter conseguido imaginar a situação de tão bizarra. O absurdo maior é que em se tratando de terapia Holística (principalmente radiestesia e radiônica) muitos fazem e defendem exatamente isto.

Enfim, quando falamos de negócios o retorno é proporcional ao que investimos, o que aliás parece ser uma lei universal. Se você pensa que nosso julgamento é isolado dê uma olhada nos extratos que separamos desta pesquisa realizada pelo SINTE sobre o perfil da Terapia Holística no Brasil.

Pense de forma profissional

Se você quer se estabelecer na área, ter muitos clientes e ser bem remunerado, concentre-se em possuir um bom material de trabalho. Ferramentas adequadas facilitarão sua vida, você produzirá mais em menos tempo, será mais preciso e passará mais confiança.

radiestesia moxabustãoObserve o consultório de um acupunturista, ele poderia utilizar um isqueiro para acender bastões de moxa e um cinzeiro para apagá-los , mas não, ele usa um acendedor e um abafador de moxa, possui recipientes específicos em aço inox para acondicionar material de trabalho, aparelhos de eletropuntura, laser e outros para facilitar sua vida, e nunca vejo acupuntor com a crítica vazia de que só agulha é o bastante, também não encontramos terapeutas florais pregando que é absurdo investir em kits simplesmente porque podemos solarizar água e montá-los pessoalmente.

Quando atendia presencialmente (atualmente trabalho a distância), e utilizava florais. eu adquiria vidros higienizados e lacrados, já com a correta proporção de água e Brandy, de forma que bastava simular nas máquinas radiônicas sem contato manual. Uma colega não gostava da ideia, defendia que economizava muito fazendo tudo de forma artesanal, só mudou o hábito após perder parte de seus consulentes devido a um deles ter descoberto restos de inseto em um floral.  Detalhe, a terapeuta era daquelas que não queriam investir em nada mas achava que as pessoas deveriam valorizar ao máximo seu trabalho.

Se você é acupuntor ou terapeuta floral e não concorda sem problemas, você pode ser mais cuidadoso e evitar tais ocorrências, respeito seu ponto de vista, mas tenha em mente que o mercado não pensa do mesmo modo, e apreciará mais o trabalho do terapeuta floral que possui equipamentos próprios para assepsia dos frascos empregados do que daquele que os ferve no fogão de casa.

Praticamente todos nossos clientes que investiram em máquinas radiônicas relatam aumento em seus ganhos e maior número de consultas, e isto ocorre simplesmente porque ferramentas melhores auxiliam a exteriorizar sua capacidade e conhecimento.

Aparelhos radiônicos passam confiança ao cliente, e na visão da pessoa o radionicista em questão:

  • Investe em seu trabalho;
  • Deve ter estudado um bocado para operar o sistema;
  • É um profissional comprometido.

O mais interessante é que é tudo verdade, se você focar em adquirir um material excelente para sua prática seus clientes o verão de outra forma. É curioso pensar que mais radionicistas poderiam usufruir destas vantagens mas estão presos a ideias ultrapassadas.

About The Author

Sérgio Nogueira

Radiestesista com sólida formação na área e mais de 20 anos de experiência. Possui formação ainda nas áreas de acupuntura, reiki, hipnose, magnetismo e outras, que utiliza de forma sinérgica em seu trabalho. Atualmente se dedica a atendimentos na área de radiestesia empresarial, auxiliando profissionais e empresas a atingirem seus objetivos. Sergio Nogueira no Google+

Comente este artigo