Abaixo alguns extratos e conclusões das pesquisas realizadas pelo Sindicato dos Terapeutas (SINTE) entre 2004 e 2012, a mesma pode ser vista aqui.

O objetivo das pesquisas é identificar o perfil da Terapia Holística no Brasil e foi realizada através de questionários. Embora discordemos de alguns aspectos, no geral elas refletem nossa própria compreensão do mercado, formada com base em diversos fatores.

Como a visão do consulente afeta os valores agregados as consultas

“Todo esse panorama torna tentador a retomada de um antigo hábito amador em nosso setor: montar consultório na própria residência… Se à primeira vista parece uma boa alternativa, a longo prazo se mostra inadequado. Junto aos Clientes, causa a impressão de que não estão perante um profissional bem-sucedido, pois, via de regra, só atende na própria casa, quem não tem recursos para um consultório… E, perante a hipótese de não ser bem-sucedido financeiramente, de pronto se questiona se é tecnicamente eficiente ou não… E, gerando este tipo de dúvidas, os Clientes potenciais acabam por escolher outros profissionais que ostentem sinais exteriores de sucesso… Ainda que injusto, é regra que a primeira impressão é a que fica…. E isso em todas as profissões.”

“Já um fato sem dúvida alguma positivo foi o decréscimo de quem atende em domicílio, opção que a prática comprovou ser altamente pejorativa. Diferentemente do fenômeno “home care” de outras profissões, onde o atendimento domiciliar se dá a “peso de ouro”, justificado pelo deslocamento de verdadeiros consultórios sobre rodas, ricamente equipados (odontologia a domicílio, fisioterapia em casa, etc…), já em nossa profissão, via de regra, quem atende na casa do Cliente é porque não tem um local adequado. Ou seja, apresenta sinais exteriores de estar mal-sucedido, o que reflete diretamente no valor que consegue agregar por atendimento, que costumam estar bem abaixo da média do mercado.”

Observação: Estes dados não tem relação com os que trabalham com tratamentos de radiônica a distância, ramos que tem crescido de acordo com nossos estudos mas não é abordado na pesquisa.

Terapia Holística enquanto negócio

“Esta é uma pauta digna de estudos em separado. Historicamente, sempre houve uma relutância em assumir a Terapia Holística como profissão em especial, para os mais antigos no ramo. Muitas vezes assumida até como missão de vida, não raro sem cobrar pelos atendimentos, só nas últimas duas décadas é que as técnicas passaram a ser encaradas como uma opção de sustento financeiro e os consultórios se profissionalizaram.”

Aumento da exigência dos consulentes

“Existe uma tendência à elitização da Clientela e, por consequência, o mesmo para os profissionais, já que lidamos com um público esclarecido e, como tal, de elevado grau de exigência geral.”

“Nossos Clientes estão atentos, consciente ou inconscientemente, a todo e qualquer detalhe de nosso consultório e também, paralelamente a este. Mesmo diante de bons resultados, o impacto negativo de, por exemplo, perceber que o profissional nem sequer usa recipientes especiais para descarte das agulhas de Acupuntura (…) pode levar o Cliente a procurar atendimento em outro local.”