Geobiologia e os Bebês 1

Palestra proferida em 19/03/2005 no Hospital de São Miguel, na cidade de São Paulo, tendo sido parte de um curso para gestantes no qual profissionais da área médica preparam as futuras mamães para receberem seus filhos.

A Geobiologia é a ciência que estuda a interação entre o homem e o meio que o rodeia, trata-se de algo milenar na história humana, muitos povos antigos utilizavam de rudimentos desta arte para a construção de seus templos ou dormitórios, alguns povos antigos tinham mesmo conceitos muito profundos de Geobiologia, entre os quais os celtas e os chineses.

A Geobiologia estuda o impacto das energias ambientais sobre o homem, desde as chamadas energias telúricas, que provém do subsolo, tais como veios d’água e falhas geológicas, passando por malhas energéticas desconhecidas da ciência oficial até chegar aos fatores mais físicos e palpáveis, como campos magnéticos e microondas entre outros.

O presente estudo tem por finalidade dar às mães os elementos mínimos necessários para que possam utilizar melhor determinados fluxos naturais de energia, bem como reconhecerem eventuais anomalias energéticas que podem estar incidindo sobre seus familiares ou sobre si mesmas, as informações aqui contidas e os cuidados preconizados são válidas tanto para o período de gestação para que o feto possa se desenvolver melhor quanto para o dia a dia dos bebês.

Em primeiro lugar, quando falamos de energia não nos referimos a algo meio vago ou esotérico, mas sim a forças reais, passíveis na maioria das vezes de serem detectadas e dimensionadas, mesmo por instrumentos físicos existentes no mercado, e também nos referimos a eventos muito bem estudados, inclusive por órgãos governamentais de diversos países.

Trataremos primeiro das correntes naturais que restabelecem a energia humana.

O primeiro ponto a que devemos nos apegar é a correta localização do berço, a cabeceira deste deve estar, sempre, voltada preferencialmente para o Norte geográfico, isto pode ser feito facilmente com o auxílio de uma simples bússola, se não for possível colocar a cabeceira voltada para este ponto deve-se colocá-la para o Leste, mas por quê?

Simplesmente porque existe uma corrente de energia que flui de Norte para Sul e uma que flui de Leste para Oeste, a corrente Norte/Sul é de característica Magnética e passível de ser detectada, mais uma vez com uma bússola, os estudos de Geobiologia indicam que esta corrente carrega o ser humano de energia quando o mesmo repousa alinhado com a mesma, tendo a cabeça voltada para o Norte, em Física aprendemos que se alinharmos uma barra de ferro no sentido Norte Sul, após um certo tempo esta barra se transforma em um magneto, podendo ser detectado com um magnetômetro bastante sensível um campo magnético débil.

Esta energia é fundamental para o bem estar do homem, e um dos maiores problemas que os astronautas enfrentam quando em órbita é o fato de não estarem sendo recarregados pelo magnetismo natural da Terra.

Quanto a segunda corrente, de Leste para Oeste, esta é apenas detectado através da radiestesia, uma das ferramentas fundamentais da Geobiologia, mas muitos estudos geobiológicos comprovam que esta corrente também auxilia o homem em sua reposição de energia, embora esta tenha características diferentes da corrente Norte/Sul.

Interessante notar que todos os monumentos antigos, principalmente os locais sagrados, seguem estas orientações, sendo as mesmas utilizadas inclusive para orientar a construção das catedrais góticas.

Vejamos agora algumas fontes de energia nocivas, denominadas ON, que devem ser evitadas ao máximo pelas mães que querem preservar seus filhos de problemas desnecessários.

Primeiramente devemos evitar as fontes elétricas, desde as óbvias, como tomadas próximo ao berço e rádios relógio junto ao berço, mas existem outras, procure ver, do lado de fora do quarto do bebê, se existe algum transformador elétrico próximo ao quarto, destes que ficam em postes, eles geram campos eletro magnéticos muito fortes, e deveriam estar a pelo menos trinta metros de qualquer quarto, preferencialmente a cinqüenta metros, caso tenha este problema e não tenha como mudar de quarto, um geobiólogo deverá ser consultado sobre o assunto, linhas de alta tensão também devem ser evitadas, sobre este ponto a legislação brasileira é muito leve, não permitindo que se construa a menos de cinqüenta metros destas redes, em países mais preocupados com este problema a exigência é de 150mts, em nossos estudos descobrimos que até 500mts existe perigo para o homem, dependendo da carga que por ali passa!

Para entendermos o que ocorre, vejamos a interação existente entre o homem e o meio, o cérebro humano, em estado de vigília, produz ondas eletromagnéticas em torno de 25 hertz, 60 hertz quando em estado de mais tensão, ou stress, podendo alcançar picos de 200 hertz, quando descansamos existe uma tendência a diminuição destas ondas para 8 ou 12 hertz, podendo chegar a cerca de 4 hertz quando atingimos o sono profundo, calcula-se que para um sono realmente reparador seja necessário que o ser humano entrasse pelo menos durante três vezes durante a noite na freqüência de 4 hertz, isto explica a aparente contradição de dias em que damos uma cochilada e acordamos refeitos e outros que, embora dormindo durante horas acordamos extenuados, agora imagine um bebê dormindo com a cabeça próxima de uma tomada, onde temos um campo entre 50 e 60 hertz, a interação entre este campo e aquele próprio do cérebro humano simplesmente não deixa que o segundo caia para os níveis do sono profundo, gerando stress, o sistema nervoso central se ressentirá após um tempo mais ou menos longo.

Coloque o berço de tal forma que não fique nenhuma tomada junto ao mesmo, que não tenha fios passando pela cabeceira do berço, mesmo embutidos, se for este o caso desmonte a tomada, seu filho agradece.

Não utilize fornos microondas para aquecer o leite da mamadeira ou qualquer tipo de alimento para seu bebê, gestantes devem evitar a proximidade com os aparelhos e, sobretudo, que a emissão destes aparelhos incidam sobre suas barrigas, pois além do fato de que as microondas alteram a composição de vários alimentos, tornando o leite mais acido por exemplo, elas interagem de maneira negativa com as células humanas e com o ambiente energético do local, idealmente estes aparelhos deveriam estar longe de crianças, os vazamentos em tais utensílios domésticos são mais freqüentes do que se imagina, e neste caso eles são ainda mais perigosos.

Outro erro freqüente é a presença de aparelhos celulares próximos dos berços ou camas, ou quando inocentemente damos nossos aparelhos para bebês brincarem, realmente é muito bonitinho ver a cara de alegria deles, mas existem outros fatores que deveriam ser levados em conta, a nocividade destes artefatos, atualmente existem cerca de 240 pesquisas ao redor do mundo que estudam o efeito dos celulares sobre a saúde humana, destas, 225 são custeadas por empresas envolvidas com este negócio, então restam cerca de 15 pesquisas independentes, portanto menos comprometidas, a três semanas atrás saíram os resultados de cinco pesquisas em diferentes partes do mundo, todas apontam para os riscos que as microondas utilizadas na transmissão celular oferecem, foi detectado maior índice de tumores cerebrais benignos em usuários, menos resistência imunológica, aquecimento cerebral pelo uso do aparelho e alguns outros problemas, o impacto da pesquisa foi forte o suficiente para fazer uma empresa adiar o lançamento de um aparelho para crianças na faixa dos oito anos de idade.

O mesmo é válido para os televisores e telas de computador, a emissão dos tubos é muito forte mesmo para adultos, existem leis sindicais que regulamentam o tempo de exposição máxima que uma pessoa pode ficar na frente de uma tela de computador, mas infelizmente vemos cada vez mais crianças com seus rostos colados em televisores por períodos muito longos, existe um pequeno experimento que pode ser tentado por qualquer pessoa, em um porão com ratos com até 20mt quadrados, coloque um televisor ligado, em poucos dias os ratos desaparecem, dado ao fato destes animais serem muito sensíveis a diversas manifestações de energia sutil.

Quanto às chamadas energias telúricas, ou seja, aquelas que provem do subsolo, é muito difícil para o leigo detectá-las, este é um trabalho para geobiólogos profissionais, que possuem os meios necessários para a correta detecção destas anomalias, no entanto procuremos prestar atenção aos sinais que se impõe, é muito comum os bebes se movimentarem durante a noite enquanto dormem, mas não normal, bebês que se encolhem em um lado da cama para dormir podem estar fugindo de zonas energeticamente mais agressivas, crianças que não conseguem conciliar o sono durante a noite por longos períodos podem também estar sendo vítimas destes problemas, posto que as correntes telúricas são mais intensas durante a madrugada, este seria um dos fatores que poderia estar em jogo quando existe a troca da noite pelo dia.

Devemos a pesquisadora Kathe Bachler a primeira pesquisa sistemática sobre o impacto de zonas telúricas sobre crianças, durante os trinta anos em que pesquisou cerca de 10.000 casos, Kathe, que era professora, pode acompanhar o rendimento escolar de alunos que habitavam em zonas telúricas e comprovar que existia uma sensível diminuição do mesmo, menor poder de concentração e mau humor mais evidente, as indicações para a mudança de camas e berços que a Dra. Efetuava se mostraram muito válidas e repercutiram diretamente sobre os fatores acima mencionados.

A própria Dr. Kathe indicava muito que as pessoas que não conseguissem dormir de forma reparadora, sofressem de males não diagnosticados por exames ou atravessassem tratamentos que não obtinham resultados mudassem aleatoriamente a cama, talvez fazendo uso da intuição pessoal, conseguiu com isto bons resultados, mas destacamos que isto nem de longe é o ideal, pois por falta de conhecimento da matéria a pessoa pode também colocar seu dormitório sobre um local muito pior que o anterior, e quando lidamos com energias de origem telúrica estamos lidando com algo não facilmente perceptível, desta forma, o melhor ainda é recorrer a um profissional qualificado quando existem dúvidas acerca da qualidade do ambiente em que vivemos, este terá condições de avaliar estes e muitos outros fatores que interagem com o homem.

Comente este artigo