fbpx

10 dicas para o uso de Gráficos de Radiestesia

Introdução

Aqui é o Sérgio do radiestesia.net e nesse vídeo eu vou falar um pouco aqui sobre a utilização dos gráficos de radiestesia.

Vou dar aqui algumas dicas de uso e vou dar umas sacadas importantes aqui para vocês, apresentei anteriormente um vídeo sobre os mitos em gráficos, abordando aqueles mitos principais, eu acho que eu tenho material suficiente para mais três ou quatro vídeos do tipo, de tantos mitos que existem sobre gráficos.

Mas agora nós vamos para uma outra etapa,  vou falar um pouquinho mais sobre algumas coisas que são importantes termos em mente quando utilizamos gráficos.

Exatidão nos gráficos de Radiestesia

graficos de radiestesia

A primeira coisa e uma das mais importantes é que quando nós falamos em gráficos de radiestesia, a exatidão da forma é primordial, é extremamente importante.

E isso é uma coisa que eu vejo que muita gente não leva a sério, é muito comum por exemplo vermos pessoas que pegam desenhos de gráficos de Radiestesia em qualquer fonte, sem nenhuma preocupação quanto a exatidão da forma.

Você deve estar atento a isso e buscar gráficos de radiestesia de bons fornecedores, que você saiba que realmente leva a coisa a sério, até porque a maioria das pessoas não sabem reconhecer imediatamente se um gráfico está bem ou mal desenhado.

Vou dar um exemplo aqui sobre essa questão, há uns dois anos atrás eu estava em uma das inúmeras discussões sobre esse tema e algumas pessoas defendiam que era perfeitamente possível você pegar um gráfico de qualquer fonte e utilizar normalmente.

E eu tentando explicar que não,  por fim essas pessoas acabaram concordando comigo no seguinte,  existem realmente alguns desenhos que são espúrios por assim dizer,  não correspondem ao que deveriam,  já outros eles são mais precisos.

Essas pessoas defendiam que a era só você ver na hora se o desenho era bom ou ruim, então eu propus um jogo e disse que iria colocar alguns gráficos e gostaria que alguém me explicasse quais estavam corretos e quais são os incorretos, aí o que aconteceu é que quase ninguém sabia na prática quais gráficos estavam corretos e quais estavam incorretos.

Isso é perfeitamente normal, eu tenho mais de 30 anos de experiência em radiestesia e também tenho dificuldade às vezes para saber rapidamente se aquele gráfico realmente está  certinho ou tem algum erro.

Não é um tema simples, principalmente para quem está começando, então para que arriscar né !

Adquira gráficos de boa procedência, bons fabricantes, porque essa questão da Fórmula é importante.

No vídeo acima mostro uma coisa que eu passo para os meus alunos do curso de radiestesia aplicado, onde mostro um pouco da importância disso.

Alinhe seus gráficos de radiestesia com o Norte Magnético

Uma outra dica que eu dou procure alinhar os seus gráficos com o norte magnético sempre, ainda que o gráfico como um Scap por exemplo não tenha essa obrigatoriedade, mesmo não tendo a obrigatoriedade sempre que possível alinhe-o com essa corrente magnética que flui de Norte para Sul.

Por quais motivos?

Vou explicar de forma rápida e simples, basicamente a os gráficos eles funcionam devidos EDFs, são emergências devidas as formas, ou seja, uma determinada influência que emerge de uma forma, para que essa emergência ocorra, isso ocorre da interação entre uma determinada da forma e o campo magnético terrestre na maioria das vezes.

Mesmo um gráfico que não necessite de uma orientação crítica em relação ao norte, sempre se beneficiará desse alinhamento.

Questão do Tempo para os gráficos de radiestesia

Uma coisa que muita gente aí tem dúvida e me perguntam é a  questão do tempo sobre Gráfico, quando eu coloco um gráfico ele deve ficar lá até eu atingir um determinado objetivo?

Ele deve ficar lá até que se conquiste algo, eu devo seguir um relógio radiestésico que eu faço?

Vou dizer o que faço e oriento os nossos alunos da Escola Internacional:

Em primeiro lugar nós devemos estipular um período  para aquele gráfico ficar montado, pode ser com o auxílio do relógio radiestésico ou do Biômetro, eu particularmente gosto de acompanhando o gráfico e aí tem determinados procedimentos que ensino dentro do curso de gráficos que vão dar esse acompanhamento de uma forma bastante eficaz.

Vamos supor que você definiu lá que um gráfico deve ficar dois dias montado, que ele  deve ficar 20 minutos, a  primeira coisa que muita gente se engana é imaginar que depois de 20 minutos o problema estará resolvido, a ideia não é essa.

O gráfico quando nós pesquisamos e chegamos em um tempo, basicamente o que foi indicado é o tempo necessário para que melhor efeito possível que aquele gráfico pode realizar ocorra. Nada mais do que isso, não tá dizendo que seu problema vai ser resolvido, mais para frente vamos voltar um pouquinho nesse tema porque ele tem uma outra sacadinha sobre isso.

Essa história de ficar deixando o gráfico aí o tempo inteiro montado até ou conseguir tal coisa tipo pessoal, como o pessoal que colocava o  Santo Antonio  de cabeça para baixo e vai ficar aí até casar,  esse tipo de coisa além de não ajudar não raro atrapalha,  pois tudo que é demais cansa.

Então nós temos que saber bem quando iniciamos um trabalho de radiestesia, quando pausar e  quando encerrar.

Quais gráficos de radiestesia devo ter desde o início?

São três coisas importantes, são dúvidas comuns que muita gente quer saber, quais são os gráficos que nós devemos ter inicialmente para quem está começando na radiestesia, para aqueles que chegaram agora, o que é importante ter?

Eu oriento de cara, começou a estudar radiestesia dois gráficos são importantes: um decágono e um SCAP.

O gráficos de radiestesia Decágono vai ser extremamente importante para o nós criarmos uma série de remédios vibracionais,  para criarmos testemunhos lexicais, para criarmos uma série de coisas interessantes em radiestesia.

Já o SCAP é um multiuso, podemos utilizar desde o começo para emissões, para equilíbrio vibracional, para melhorar harmonizar um determinado ambiente,  então o SCAP é um gráfico muito interessante,  tanto é que cunhei  a seguinte frase para ele:

Na dúvida use o SCAP.

É um gráfico que tem uma ampla Gama de utilizações, e não raro, quando nós iniciamos uma avaliação de radiestesia e não sabemos ainda bem do caso num primeiro momento, ou quando a  coisa parece que não vai, que a avaliação não flui, não raro deixar um testemunho de uma  pessoa ali dentro do SCAP uma meia hora já ajuda a elucidar bastante a questão.

Então o SCAP realmente é um gráfico bem interessante, quando de boa qualidade, não esqueça disso!

Gráficos de radiestesia tem prazo de validade?

Agora mais um tema que eu falei no vídeo sobre mitos de gráficos é sobre a questão da limpeza dos gráficos, será se eles  tem data de validade?  Você tem que ficar comprando o gráfico toda hora?

Naquele vídeo mesmo até teve gente que escreveu que havia fabricantes falando que se deveria ficar trocando e comprando gráficos novos a cada dois três meses.

Claro que isso é interesse do fabricante, na verdade  não tem que ficar realmente trocando o gráfico, se ele  impregnou nós podemos desimpregnar , simples assim.

Quais as melhores formas do desimpregnar um gráfico?

Existem várias formas como eu disse, pode-se  utilizar um imã por exemplo passando uma por cima do gráfico, se você pegar um gráfico que está impregnado deixa ele num canto guardado por um tempo ele naturalmente vai se desimpregnar.

Claro, nem sempre temos esse tempo todo, se temos um gráfico de PVC nós podemos abrir a torneira e colocá-lo por 05 minutinhos ele vai ser desimpregnar sozinho.

Podemos esfregar esse gráfico também com feltro, preto de preferência, para gerar um certo atrito uma eletricidade estática, ele vai desconfigurando o padrão daquela gravação que estava no gráfico.

Estas são algumas sacadinhas legais e alguns métodos rápidos e eficazes de lidar com o problema.

Voltando aqui, quando eu falei em alinhar com norte eu esqueci um pequeno detalhe, uma coisa que as pessoas me perguntam muito é :

Porque alinhar gráfico com o norte se  a gente pode usar um  gráfico com aquela bolinha branca e preta encima e tudo mais,   aquilo ali não  serviria justamente para eliminar a necessidade alinhar um gráfico com Norte ?

Sobre essa questão nós podemos dizer o seguinte:  quando Jean de La Foye elaborou esse sistema de colocar um círculo preto e um círculo branco,  não foi pensando em emissão não, aquilo foi idealizado para se criar um determinado campo,  lembra que  eu usei o termo emergência devido as formas?

Foi para criar um estado onde essa forma conseguisse emergir, dentro do Estado potencial mínimo,  apenas para efeito de estudo. Sei que isso é uma questão técnica e talvez seja um pouco mais complicado, mas é perfeitamente possível também de ser dominada.

Imagine que você precisa estudar um desenho, forma, símbolo ou gráfico, mas não tem como fazer sua pesquisa na posição exigida (norte magnético) devido a sua restrição de espaço, para piorar você está lidando com um gráfico grande, de cerca de 60cm, imagine a dificuldade que pode ser fazer uma análise de forma nestas condições.

Jean de La Foye descobriu que, ao inserir estes círculos em cores opostas nos gráficos, era possível forçar o surgimento das informações de um gráfico, ainda que em potencial mínimo, o que permitia o estudo, mas tal recurso nunca foi pensado realmente para emissão, até porque para emissões necessitamos de mais intensidade de emissão.

Gráficos de radiestesia com letras hebraicas

Outra sacada extremamente importante, é cuidado com gráficos que possuem letras hebraicas, porque eles são os campeões de erros no mercado. Já vi erros crassos em gráficos com esse tipo de letra.

E mais uma sacada rapidinho e por fim, mas não menos importante e pensando bem agora acho que devia ter dito lá no começo porque quem precisa ouvir mesmo essa provavelmente já desistiu do vídeo.

Esqueça receitas de bolo com os gráficos de radiestesia

Não fique procurando receita de bolo, não fique procurando receita para uso de gráficos. Muita gente entra em contato  fazendo perguntas como:

Sérgio que gráfico que eu uso para isso,  que gráfico que eu uso para aquilo,  Sérgio que gráfico que uso para prosperar, que  gráfico que eu uso para resolver um problema X.

Não fiquem procurando essas receitas, não funcionam, a utilização de um gráfico depende normalmente de uma avaliação realmente do caso, e aliás nem sempre os gráficos são o meio mais indicado para uma solução.

Então não fique procurando receitas, a maioria delas não vai servir mesmo para todo mundo,  porque as pessoas têm problemas semelhantes, mas em função de eventos diferentes, causas diferentes.

David Tansley  na década de  70 já dizia, devemos deixar que a matriz do desequilibro selecione o corretor selecione um meio de atuação,  eu vejo muita gente aí na internet procurando receitas,  e pior, eu vejo muita gente dando receitas,  para resolver tal coisa use o gráfico X para resolver tal coisa gráfico y e tudo mais.

Não fique atrás disso, procure fazer uma boa formação, procure realmente conhecer os gráficos, suas características e formas de  descobrir, avaliar e chegar até o meio que você realmente necessita, seja para você ou para o seu consulente, você vai ver seu trabalhos dar um salto.

Radiestesista  que fica dependendo muito de receita pronta,  ainda tem muito que aprender!

Os Radiestestas  mais preparados sabem  como misturar os ingredientes,  como desenvolver a receita que ele vai usar para um determinado caso.

Curso de Radiestesia de qualidade?

Conheça a Formação T.E.R.A. de Radiestesia, a escolha de quem ama Radiestesia e quer ter sucesso!

10 dicas para o uso de Gráficos de Radiestesia 1
Rolar para cima