A Radiestesia é uma técnica de análise vibracional, e como tal procura descobrir desequilíbrios no campo vital que tenham relação com as queixas apresentadas pelo solicitante, deixando à Medicina a tarefa de buscar as causas físicas do problema.

Entre os diversos aspectos analisados, alguns são de importância vital durante a pesquisa, tal como a Aura e os Chacras, que influenciam enormemente o estado de equilíbrio do ser humano, e cujos distúrbios podem ser a causa por trás de vários problemas de saúde resistentes a tratamentos convencionais. Tais eventos tendem a resistir a todas as investidas porque os fatores causadores não estão sendo tratados de forma alguma, com o agravante de que cada vez que um dos sintomas tem sua manifestação suprimida o problema tende a reaparecer posteriormente com novos sinais e de forma mais intensa.

Como muitas pessoas enviam mensagens perguntando sobre a Anatomia Sutil, resolvemos escrever este artigo explicando, de forma sucinta os principais aspectos do tema, sem a pretensão de esgotar o assunto.

AURA

A aura é o escudo energético que envolve o homem, possui uma forma ovalar, como um ovo de cabeça para baixo, este campo energético, embora invisível para a maioria das pessoas é passível de ser medido através de processos radiestésicos.

Através da Radiestesia é possível se medir a extensão e a consistência da aura, pontos áuricos em que a energia pode estar desequilibrada ou bloqueada. O comprimento do campo áurico está diretamente ligado ao estado de saúde da pessoa

A aura possui diversas cores, se destacando o vermelho, o azul e o laranja, embora outras cores possam aparecer, como o branco, amarelo, lilás e verde. A proporção e distribuição destas cores denotam as tendências de cada pessoa, sua saúde, sua mentalidade, suas inclinações morais etc…

OS CHACRAS

Os Chacras são vórtices de energia localizados no duplo etérico do homem, dissemos acima que a Aura é o escudo energético que envolve o homem, pois bem, este escudo protege justamente o duplo etérico ou corpo energético, os Chacras são responsáveis pela captação de energia do Universo e pela sua distribuição no organismo; quando em desequilíbrio os Chacras podem ocasionar uma série de problemas no corpo físico.

Estes vórtices são velhos conhecidos do ser humano, os Hindus conhecem estes centros de energia a muito tempo, e atualmente mesmo os médicos estudam este assunto, para se ter uma ideia a alguns meses atrás eu fui convidado para uma palestra que segundo me informaram era para médicos e terapeutas alternativos, como eu tinha compromissos não pude comparecer mas fiquei sabendo do que se tratava, um aparelho novo que estava sendo oferecido para estes dois grupos e que segundo pesquisas feitas em laboratórios possuía a capacidade de reequilibrar os Chacras.

Os Chacras existem no duplo etérico aos milhares, em vários tamanhos, aqui no entanto abordaremos apenas os principais, que são em número de sete, estes são os chamados Chacras grandes do organismo, possuem o tamanho de um pires e são os responsáveis pela captação das energias cósmicas, estando ligados às principais glândulas do corpo físico.
Falemos um pouco de cada Chacra:

Coronário:

Está localizado no alto da cabeça e é considerado como sagrado em diversas tradições antigas, corresponde à glândula pineal que é a sede dos poderes mentais latentes no homem, sabe-se que a glândula pineal é importante e produz a melatonina, cuja ação mais evidente é regular o sono.

Frontal:

Localiza-se entre as sobrancelhas, é interessante notar que muitas iniciações antigas possuíam pedras, adereços ou pinturas a serem feitas neste local, está ligado à glândula hipófise, que produz a ocitocina que estimula a liberação do leite na glândulas mamárias, quando este chacras está em desequilíbrio são normais as dores de cabeça na parte frontal e os problemas oculares, acompanhados de irritação e ira.

Laríngeo:

Está na garganta, tem ligação direta com a glândula tiróide que é responsável pelo desenvolvimento normal do sistema nervoso central, este chacras não é somente um receptor de energias mas um grande emissor também já que aqui temos as cordas vocais, os antigos tinham muito apreço pela palavra e as frases “In princípium erat verbum” ( No principio era o verbo) e “Verbum caro factum est” (O verbo se fez carne) são frases ligadas ao começo do velho e do novo testamento e demonstram um pouco da importância deste chacras.
Quando temos desequilíbrios ou bloqueios neste local temos dificuldades de nos comunicar de forma clara e acabamos por guardar muitas mágoas, além de podermos desenvolver problemas ligados à faringe, laringe ou a tireoide.

Cardíaco:

Localiza-se à altura do coração e corresponde à glândula timo que é praticamente desconhecida mas parece estar ligada ao sistema imunológico, o cardíaco, como ponto médio entre todos os Chacras é extremamente importante e é responsável pelo que sente no homem.

Quando em desequilíbrio nascem os sentimentos de inferioridade, pânico e outros que acabam por minar a auto-confiança da pessoa.

Plexo Solar:

O Plexo está sobre a boca do estômago, é através deste ponto que recebemos muitas das energias exteriores, sendo por este motivo necessário que ele sempre esteja em equilibrio, está ligado ao pâncreas, o produtor do suco pancreático, necessário para controlar a acidez do organismo. corresponde ainda aos órgãos digestivos, sendo muitíssimo importante o seu correto funcionamento,
Quando temos desequilíbrios neste ponto não podemos contar com uma correta distribuição de energia em nosso organismo.

Sacral:

Está logo abaixo do umbigo, relaciona-se com os órgãos reprodutores e está ligado ainda às gônadas, responsáveis pela procriação.

Chacra Básico:

Situa-se na base da coluna possuindo influência sobre as supra-renais, relaciona-se com os rins e a coluna vertebral.

Quando este local está negativo encontramos problemas de falta de energia, cansaço, apatia.

Outros Chacras importantes são alguns dos chamados médios, como os que temos nas palmas das mãos e dos pés, o chacras coordenador junto ao cerebelo, o sobrecardíaco ou paratireóide e o subdiafragmático, ao lado temos mais uma figura ilustrativa.

Comente este artigo