Gráfico de radiestesia turbilhão

Gráfico Turbilhão

Os Gráficos de Radiestesia (erroneamente chamados gráficos radiônicos), são muito conhecidos e utilizados atualmente, até mesmo por leigos que nunca utilizaram um pêndulo. Neste artigo damos algumas dicas sobre seu uso que podem fazer grande diferença para o uso prático:

1- A exatidão da forma é primordial

Dentre as leis que regem as ondas de forma esta é a mais determinante, um gráfico de Radiestesia apenas proporciona bons resultados quando possui a forma correta, portanto compre seus gráficos de um fornecedor competente que seja cuidadoso na confecção do material.

2- Cuidado com gráficos que contenham letras Hebraicas

Nenhum problema com eles especificamente, mas seu uso exige cuidados, o primeiro é que deve ser bem produzido, sendo comum gráficos com erros grosseiros, o campeão é o Tetragrama (que nem deveria ser utilizado em Radiestesia), mas outros gráficos conhecidos também contém erros que inviabilizam seu uso. Uma dica para escolher o Tetragrama, observe se em seu braço direito está escrito IEVE em hebreu, se tiver está ERRADO, lá só devem estar três letras e não quatro.

3- Escolha o gráfico certo com o auxílio do pêndulo

Existem vários gráficos possíveis de serem utilizados para fins semelhantes, a Radiestesia lhe indicará qual se adequa melhor ao caso. Evite as preferências pessoais.

4- Tudo que é demais cansa

Gráficos precisam de atenção, não deixe-os montados ad eternum, pesquise o tempo necessário para emissão utilizando a Radiestesia ou verifique a intensidade em intervalos regulares. Estímulos continuados perdem a eficácia devido a saturação, que pode ainda gerar outros inconvenientes.

5- Como desimpregnar os Gráficos

Existem vários técnicas para isto, as mais usadas são deixa-los sob a água corrente por alguns minutos (debaixo de uma torneira por exemplo) ou esfregá-lo com algum tecido (preferencialmente preto), que crie atrito e gere eletricidade estática.

6- Interaja com o gráfico

Ao preparar um gráfico reserve um tempo para visualizar o objetivo pelo qual ele foi armado, isto auxiliará a programa-lo para o fim almejado, lembre-se que a mente tem sua parcela de importância na Radiestesia.

7- Utilize cristais como antenas sempre que puder

As pontas de quartzo branco servem para amplificar a emissão, aumentando consideravelmente as possibilidades de êxito, sempre que o gráfico permitir utilize-os. Aqui também vale o princípio do tamanho, pontas maiores proporcionam melhores resultados. Outro detalhe é que os cristais melhores são os não lapidados cujas pontas estejam intactas.

Gráfico de radiestesia emissor tricírculo de jean de la Foye

Gráfico de radiestesia Tricírculo

8- Mantenha o alinhamento com o Norte de Forma

Evite o uso de campos de forma artificiais, eles foram criados mais para facilitar as pesquisas de Ondas de forma do que para trabalhos de emissão. Os gráficos trabalham em íntima relação com o campo magnético terrestre, sendo desta forma importante que estejam corretamente alinhados com o Norte de forma (357º), a menos que o gráfico preveja outro posicionamento, o que é raro.

9- Evite montar gráficos de Radiestesia próximo a grandes massas metálicas

Pelo mesmo motivo devemos manter os gráficos longe de grandes objetos metálicos ou aparelhos eletroeletrônicos quando estão montados. Estes inteDecágonorferem com o campo magnético local e perturbam o funcionamento dos gráficos.

10- Os dois gráficos de Radiestesia que devemos ter sempre a mão

Se não puder comprar mais que dois gráficos no início então escolha estes:

Decágono:

para a fabricação de testemunhos e remédios vibracionais, tenha alguns disponíveis.

Scap:

Um multifuncional que pode ser usado em várias ocasiões, parafraseando um dito homeopático podemos dizer que, “Na dúvida use Scap”.

Gostou? Então aproveite e se inscreva em nossa lista de e-mails para receber um presente especial!

Cadastre seu E-mail para receber:

  • Curso gratuito sobre o Bastão Dorje;
  • Dicas e técnicas por e-mail;
  • Novidades e promoções.