radiestesia terapia integrativa

Uso prático da radiestesia em terapias

radiestesia terapia integrativa

Introdução

A radiestesia pode ser utilizada em conjunto com qualquer tipo de terapia, e penso que qualquer profissional da área de saúde, seja um terapeuta integrativo, médico, psicólogo ou outro, pode encontrar na radiestesia uma ferramenta que expande suas possibilidades de diagnóstico, seja este físico (no caso de médicos), psicológico ou energético.

Não canso de me surpreender com as possibilidades que a radiestesia oferece, e farei um breve relato de um caso recente que analisei.

Peço que leia este relato até o final, é bem curto, mesmo eu usando alguns termos da Medicina Tradicional Chinesa (MTC) o sentido geral é facilmente compreendido.

Um caso entre tantos

Há pouco tempo eu estava fazendo uma análise vibracional para um caso de depressão.

Lá fui eu, munido dos instrumentos e de um testemunho, buscar os fatores energéticos envolvidos. Como tenho formação também em acupuntura, uma das análises possíveis é a dos fatores relacionados a MTC.

Logo no início, quando procurei as causas, o pêndulo rotacionou sobre o campo Meridianos, da ficha de análise que uso, então peguei um diagrama dos elementos (de autoria do Dr. Wu Tou Kwang) e comecei pesquisar qual elemento estaria diretamente ligado a questão.

mapa 5 elementos

reproduzido com a autorização do autor.

Para quem não sabe, em acupuntura existem diversas causas possíveis para o problema, um depressão pode ser o reflexo físico de vários problemas, sendo os mais comuns a deficiência do Yin, deficiência do yin ou yang do fígado do rim, desequilíbrios no meridiano de coração ou baço.

Estão entre as causas mais comuns, mas existem diversas outras possibilidades.

Agora vou com meu pêndulo sobre cada um dos elementos (madeira, fogo, terra, metal e água), para isolar o elemento, quando posicionei o instrumento sobre o elemento metal a “magia” aconteceu! O pêndulo entrou em giro, indicando que ali estava a raiz do problema.

Usando o mesmo diagrama do Dr. Wu, fui pesquisar entre os pontos principais do meridiano de pulmão (pontos Shu antigos), e quando cheguei em P7 (Lieque), o pêndulo novamente indicou desequilíbrio.

Sendo este ponto acoplado a um outro meridiano, resolvi testar este também (IG4), o que mais uma vez indicou desequilíbrio.

Entre as características do ponto P7 vemos que ele é indicado em casos de tristeza, depressão, introspecção; vemos ainda que ele libera tensões emocionais e é importante ponto para o reequilíbrio emocional.

O uso de algumas escalas de medição, como Yin / Yang, Excesso / deficiência, forneceram as informações complementares sobre o estado dos meridianos e pontos.

E assim, rapidamente cheguei em uma importante informação do problema, o que permitiu desenrolar o resto e gerar uma melhora rápida no estado do consulente, fato que surpreendeu seu médico e os familiares.

Qual a importância do relato?

Não estou dizendo que um acupunturista profissional não pudesse chegar a mesma conclusão através dos meios próprios da MTC, ou que a radiestesia é melhor para detectar distúrbios do que a MTC, é claro que um bom acupuntor, utilizando com conhecimento as  ferramentas próprias da MTC também detectaria o problema, mas a questão é que o que a análise dos meridianos, quando a pessoa domina a arte do pêndulo (bem mais simples de dominar do que a pulsologia por ex.), o processo torna-se mais simples e mais rápido.

O CEATA, uma das escolas mais tradicionais de acupuntura do Brasil (presidida por sinal pelo Dr. Wu), é uma das escolas a defender que o uso técnico do pêndulo pode ser uma importante ferramenta para uso com a acupuntura.

Na verdade, o exemplo que dou, aplicado a acupuntura, pode ser aplicado igualmente a diversas terapias, tais como Florais de Bach, Homeopatia, Fitoterapia, Reiki e quase qualquer nome que eu consiga imaginar.

 

Espero que este artigo incentive os leitores a utilizarem cada vez mais a radiestesia na prática terapêutica.

Até mais.

About The Author

Sérgio Nogueira

Terapeuta Holístico com sólida formação na área e mais de 20 anos dedicados a pesquisa e desenvolvimento de novas abordagens no campo de radiestesia e radiônica. Possui formação ainda nas áreas de acupuntura, reiki, magnetismo e outras, que utiliza de forma sinérgica em seu trabalho. Sergio Nogueira no Google+

Comente este artigo